Notícias Archives - Página 9 de 9 - Sementes Agromax

Bezerros do cedo em Paranatinga/MT - Em plena seca, lote de vacas com crias recentes. Suplemento de 600 g (sorgo / milheto / ureia + mineral 80).

Fazenda do MT mostra bons resultados com animais nascidos na seca

Notícias | Deixe um comentário

Vem crescendo o número de fazendas pelo Brasil que investem na busca pelo chamado bezerro ‘do cedo’, que nasce em julho/agosto/setembro e, na desmama, normalmente é mais pesado que o ‘do tarde’ (que nasce em novembro-dezembro).

A Fazenda Tropical (Paranatinga/MT) tem obtido bons índices com essa estratégia, com bezerros nascendo em plena seca no Centro-Oeste e as mães em ótimo estado.

“Antes de focar nos bezerros que nasceriam em julho/agosto/setembro, vimos que as vacas em agosto e setembro estavam boas de escore corporal, levando-nos a esperar um bom índice de prenhez. O bezerro ‘do cedo’ vindo de uma fêmea bem nutrida teria um bom começo de vida, mamando pouco para crescer. Um bezerro normal sai de 25kg ao nascer para chegar aos 70kg no final do 3º mês, em média. Justo quando esse animal em crescimento pede mais leite à mãe que passa a receber oferta de melhores pastagens resultantes das chuvas na primavera”, conta o pecuarista José Carlos Beckhauser, da Fazenda Tropical, e diretor da Beckhauser.

“Além disso, com pouca chuva no MT até outubro, o manejo era tranquilo com as fêmeas para os protocolos de IATF (Inseminação Artificial por Tempo Fixo). Apesar da poeira intensa, foi mais eficiente a lida no curral sem chuvas”.

O manejo sanitário do bezerro nos primeiros dias e até os cuidados com a limpeza da placenta na mãe fazem a diferença sem chuva. A incidência de doenças acolhidas pelo umbigo em processo de cicatrização no recém-nascido tem relação direta com a umidade do ambiente, onde se proliferam os fungos, bactérias, larvas com mais vigor. “Outra vantagem é que a temperatura lá fora é parecida com a que estava no útero”, lembra Beckhauser. Na contramão, o peso ao nascer não é tão alto, pois as crias nascem mais enxutas por dividirem com a mãe os recursos da nutrição mais escassos
do final do inverno.

Um aspecto de grande importância para conseguir o animal ‘do cedo’ é a estratégia nutricional da mãe. “Se a vaca receber complemento de fósforo em dose módica para complementar o que o baixo vigor do capim (seco quase feno) oferece, o sistema reprodutivo agradece. Essa receita deu muito certo na Fazenda Tropical: 500g diários, sendo 350g de qualquer grão seco (milho, sorgo ou milheto triturado) misturado a 150g de sal mineral com 80 porções de fósforo devolve em bezerros com sobra extraordinária quando feitos diagnósticos de gestação após a estação de monta”, informa.

Vale lembrar que é muito importante a pressão por seleção. “Nada de ter paixão por vaca na fazenda que não entrega bezerro todo ano. Cuidado com aquelas pesado nas, bonitas de se ver. Se teve manejo adequado, foi inseminada, esteve com touro hábil e não reproduziu, ela deve ser descartada”, decreta.

Arquivo / Fazenda Tropical, Paranatinga/MT

Fonte da noticia: RuralCentro

 

 

GADO NELORE

Cotação da carcaça bovina no atacado atinge o maior patamar desde setembro de 2012

Notícias | Deixe um comentário

Mais uma valorização no mercado do boi gordo em São Paulo.

O preço de referência no estado está em R$105,00/@, à vista, segundo levantamento da Scot Consultoria. Em relação ao mesmo período do mês anterior houve valorização de 3,9%. A alta em sete dias foi de 1,9%.

Ocorrem negócios em valores maiores.

Houve valorizações em sete das trinta e uma praças pesquisadas.

As escalas de abate atendem entre três e quatro dias, na maioria dos casos. A oferta está moderada.

No mercado atacadista houve valorizações para as peças de dianteiro. O boi casado de animais castrados tem sido negociado por R$6,62/kg, alta de 2,6% nos últimos sete dias.

É a maior cotação para a carcaça desde a segunda quinzena de setembro do ano passado.

por Hyberville Neto

 

estação de monta

MT: Pecuaristas preparam-se para a ‘estação de monta’

Notícias | Deixe um comentário

Pecuaristas mato-grossenses começam a se preparar para a ‘estação de monta’, período em que os touros permanecem junto às matrizes visando o nascimento nas épocas mais favoráveis para o desenvolvimento dos bezerros. A determinação de um intervalo específico para a cobertura das vacas tem resultados positivos dentro da propriedade, com redução da mortalidade ou adoecimento do bezerro e melhor produtividade. Com o início em novembro, os próximos dois meses são de movimentação no comércio de touros e sêmen. A preparação para a estação de monta começou no mês passado e ela é feita tanto pelos criadores quanto por profissionais e empresas. “A escolha dos animais ou do sêmen deve ser feita com cautela, dando preferência para os animais com avaliação genética, ‘puros’ e registrados ou aqueles provenientes de selecionadores reconhecidos”, adverte o médico-veterinário Francisco Manzi.
Fonte: Diário de Cuiabá

Valorização da arroba do boi no MS

VBP da pecuária de corte em MS deve ser recorde

Notícias | Deixe um comentário

O Valor Bruto de Produção (VBP) da pecuária de corte em Mato Grosso do Sul deverá ser recorde neste ano, segundo a Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Sistema Famasul). O VBP, medido pela multiplicação do volume produzido e o preço do boi gordo, deve atingir R$5,45 bilhões, alta de 4,8% ante a de R$5,2 bilhões de 2012.

A Federação alerta que o VPB representa o desempenho do setor para a economia local e não necessariamente o aumento da rentabilidade do produtor, que ainda está comprometida pelos custos de produção.

De acordo com a assessora técnica do Sistema Famasul, Adriana Mascarenhas, em nota, a projeção da entidade está mais relacionada à elevação dos preços do boi gordo do que o incremento da produção. “Em 2013, a produção de carne bovina do estado permaneceu praticamente a mesma, já o valor do boi gordo subiu de forma significativa entre 2012 e 2013, com incremento de 3,8%”, afirma Adriana.

Porém, de janeiro a julho deste ano, o volume de abate de bovinos atingiu 2,4 milhões de cabeças, com elevação de 8,5% em relação ao mesmo período do ano passado, quando os abates atingiram 2,2 milhões de cabeças.

Fonte: Agência Estado. 2 de setembro de 2013.

Boi Gordo

Mercado do boi gordo firme em SP

Notícias | Deixe um comentário

Houve valorização no mercado do boi gordo em São Paulo. Foi a segunda alta consecutiva.

No início da semana foram poucos os negócios no estado, o que reduziu as escalas de abate. Na maioria dos casos estas atendem entre dois e três dias. Segundo levantamento da Scot Consultoria, o preço referência está em R$101,00/@, à vista, mas existem boiadas compradas em valores maiores.

Os animais a termo têm sido fundamentais na composição das escalas de algumas empresas. As demais têm aumentado as ofertas de compra. O mercado atacadista a demanda não evoluiu e as cotações se mantiveram.

Para os próximos dias a expectativa é de melhoria na demanda, com o varejo indo às compras, se abastecendo para as vendas de início de mês.

por Hyberville Neto

fonte: Scot Consultoria

sementes

SP: agronegócio brasileiro pode crescer 38% nos próximos 10 anos, diz Roberto Rodrigues

Notícias | Deixe um comentário

Um recente estudo feito pelo DEAGRO – Departamento do Agronegócio, da FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, projeta crescimento de 38% na produção agrícola brasileira nos próximos 10 anos. A informação foi dada, na sexta-feira (23/8), pelo ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, durante palestra no Fórum ABISOLO, promovido em Ribeirão Preto – SP, de 21 a 23/08, pela Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal.

“As projeções do estudo foram feitas com base no desempenho da produção nos últimos anos e comprovam que o país tem tudo para alcançar a meta proposta pela OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, de aumentar sua produção em 40% até 2050 para dar conta de um crescimento de 20% na demanda mundial por alimentos”, comentou o ex-ministro. Ele salientou ainda que isso só será possível em virtude do expressivo ganho de produtividade que o Brasil conseguiu ao investir no desenvolvimento de tecnologia voltada especificamente para clima tropical. “Temos a melhor tecnologia tropical do mundo”, assegurou o ex-ministro.

Segundo ele, prova disso é que, enquanto a área plantada nos últimos 20 anos cresceu 40%, a produção física aumentou 220%, resultando num aumento de produtividade da ordem de 128%. “Se tivéssemos as condições tecnológicas de 20 anos atrás, seriam necessários mais 68 milhões de hectares para atingir nossa atual produção. Em outras palavras, preservamos 68 milhões de hectares. E isso é sustentabilidade”, comentou.

Apesar das projeções otimistas, o ex-ministro observou, no entanto, que, para se alcançar esse nível de crescimento, será necessário equacionar alguns gargalos e obstáculos. “Falta uma logística que nos dê condições de competir; uma política comercial baseada em acordos bilaterais e regionais; estímulo ao seguro rural; além da definição de uma estratégia por parte dos produtores que seja amparada por um Ministério da Agricultura forte e prestigiado”, finaliza o ex-ministro. Sem isso, a seu ver, o Brasil pode assistir ao crescimento de outros países numa área onde o país tem tudo para ser líder mundial.

Fonte: ABISOLO. 26 de agosto de 2013.

gado_boi

Mercado firme para boi gordo

Notícias | Deixe um comentário

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum.