Notícias Archives - Página 10 de 11 - Sementes Agromax

chuvas-e-trovoadas

INMET prevê trovoada no Centro-Oeste, Norte e Sudeste

Notícias | 1 Comentário

INMET prevê trovoada no Centro-Oeste, Norte e Sudeste

Devem ocorrer trovoadas em vários estados nesta sexta-feira, 18 de agosto. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) é de tempo nublado nas quatro regiões do Brasil.

O dia pode ser nublado a encoberto com pancadas de chuva e trovoadas em Goiás, Mato- Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. A temperatura mínima no Centro-Oeste será de 17°C e a máxima de 36°C. No Norte, o tempo será encoberto com pancadas de chuva e trovoadas no Acre, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Mínima de 19°C e máxima de 38°C.

Pode chover no litoral e mata da Paraíba, centro/leste de Pernambuco, centro/norte do Piauí, oeste do Maranhão, em Alagoas e de Sergipe. O dia será nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuva na Bahia, metropolitana e mata em Pernambuco, centro/norte o Piauí e Ceará. Demais áreas parcialmente nublado a nublado. A temperatura máxima do Nordeste pode chegar a 40°C e a mínima a 16°C.

O dia na região Sul deve ser nublado com chuva no leste do Paraná, Alto Uruguai, Missões e planalto médio no Rio Grande do Sul e leste de Santa Catarina. Parcialmente nublado nas demais áreas. Mínima de 6°C e máxima de 28°C.

A temperatura mínima na região Sudeste deve ser de 10°C e a máxima de 32°C. A expectativa é de tempo nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuva e trovoadas em São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e no Rio de Janeiro.

Fonte: MAPA.

febre_aftosa_vacinação

Segunda etapa de vacinação contra aftosa começa em Roraima

Notícias | 1 Comentário

O estado de Roraima abre a segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa nesta terça-feira, 1º de outubro. A campanha começa em Rondônia no dia 15 deste mês, mesma data do início da fase única no Amapá. Nos demais estados, exceto no Piauí, a imunização dos rebanhos será em novembro.

A vacinação de todo o rebanho de bovinos e bubalinos será no Acre, Alagoas, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte e São Paulo. Já a imunização em animais com idade abaixo de 24 meses está prevista na Bahia, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Sergipe e Tocantins. Algumas localidades desses estados têm datas diferenciadas (clique aqui para consultar o calendário completo).

Os serviços veterinários oficiais têm 30 dias após o final do prazo para encaminhar ao MAPA relatório das atividades da campanha contra a enfermidade. A expectativa do Ministério da Agricultura é que 150 milhões de cabeças sejam vacinadas nesta nova etapa.

Atualmente, o Brasil reconhece como zona livre de febre aftosa com vacinação áreas de 22 estados (sendo sete do Nordeste e o Pará apenas em 2013) e o Distrito Federal. A campanha e todo trabalho realizado pelo governo são fundamentais para impedir a reintrodução da doença no território. Santa Catarina não está no calendário por ser zona livre de aftosa sem vacinação.

Fonte: MAPA.  2 de outubro de 2013.

circuito-feicorte-2013

Transformação e novas formas de comercialização da pecuária de RO são temas do circuito feicorte nft/T

Notícias | Deixe um comentário

Rondônia recebe na próxima semana a 4ª Etapa do Circuito Feicorte NFT. O evento, que vem percorrendo as principais capitais pecuárias do Brasil para levar informação, discussão e tecnologia a fim de aprimorar a eficiência na produção e comercialização da carne, ocorre nos dias 3 e 4 de outubro, no Parque de Exposições Hermínio Victorelli, em Ji-Paraná (RO).
Em dois dias de workshop, a eficiência será discutida sob diversas óticas: nutrição, genética, gestão, mercado, influência do clima da pecuária, pastagens, bem-estar animal, tipificação de carcaça, entre outros. Dentro da programação desta edição,uma das novidades é a apresentação do tema “Transformação da pecuária em Rondônia e novas formas de comercialização”, que será ministrado por uma mulher que faz parte do time que não tira o olho da boiada e nem da lavoura. A pecuarista Carla de Freitas, que administra a Agropecuária Bela Vista, na região de Chupinguaia (RO), abordará o potencial e as oportunidades que Rondônia possui para o desenvolvimento da pecuária no estado.
Com um rebanho de mais de 12 milhões de cabeças, a pecuária de Rondônia cresceu 190% nos últimos dez anos,levando o Estado a ocupar o 7º lugar no ranking dos maiores rebanhos do País e o 2º lugar no ranking da região Norte.
A produção de carne bovina se tornou o principal item de exportação do Estado, sendo responsável por 60% do faturamento, colocando Rondônia em 4º lugar no ranking de Estados exportadores, segundo dados da Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo). Para Carla de Freitas, que administra a Agropecuária Bela Vista, Rondônia possui inúmeras qualidades que podem ser potencializadas.“A vegetação, o clima e a pluviosidade tornaram a terra adequada, tanto para o plantio quanto para a criação de gado. Rondônia pode oferecer todas as condições necessárias à prática profissional e a aplicação de alta tecnologia agropecuária”, explica. Além disso, a pecuarista considera a integração Lavoura-Pecuária de suma importância para a transformação e crescimento
da atividade no estado. “A integração Lavoura-Pecuária é uma tecnologia que vai revolucionar a agricultura tropical
como um todo. Uma vez incorporada ao dia a dia de pecuaristas e agricultores brasileiros, esta integração será responsável
pela diminuição da demanda por terras, ajudando a preservar nossas florestas e matas nativas”, conclui.
Além das palestras, o Circuito Feicorte terá uma feira de negócios com cerca de 30 empresas de referência em diversos
segmentos da pecuária: frigoríficos, saúde,nutrição, pastagens, instituição financeira,
associação de classe, rastreabilidade, software, irrigação, equipamentos e cercas.“O objetivo do Circuito Feicorte é levar
informação, tecnologia e discussão para mais perto do produtor, onde efetivamente ele está.
A pecuária em Rondônia possui uma importante representatividade e certamente poderá crescer mais com investimentos
em tecnologias para buscar mais eficiência”, afirma a gerente do Agrocentro, uma das realizadoras do Circuito Feicorte, Carla Tuccilio. O evento vem percorrendo desde 2012 alguns dos principais polos de pecuária pelo Brasil. Este ano já passou por Cuiabá (MT),
Palmas (TO), Campo Grande (MS) com a participação de 4 mil pessoas e depois de Ji Paraná segue para Paragominas (PA).
Sobre o Circuito Feicorte NFT O Circuito Feicorte NFT é uma iniciativa do Agrocentro (que promove a Feicorte –
Feira Internacional da Cadeia Produtiva da Carne – em São Paulo há 19 anos) e a Nutrition for Tomorrow Alliance (aliança
de marketing cooperativado formada por empresas da cadeia de proteína animal).
As três primeiras etapas realizadas em 2013 – Cuiabá (MT) em março, Palmas(TO) em maio e Campo Grande (MS) em
julho – reuniram quase 4 mil participantes. Depois de Ji Paraná, a última etapa dessa edição do evento será em Paragominas (PA).
Na primeira edição do Circuito Feicorte NFT em 2012 foram promovidas quatro etapas regionais (MT, BA, GO e MS), com a
participação de 4 mil pessoas, representando mais de 17 milhões de cabeças de gado.

Fonte da Noticia: Jornal Agroin Agronegócios

cresce o abate de bovinos no brasil

Aumento de 12,4% nos abates de bovinos no primeiro semestre

Notícias | Deixe um comentário

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os abates de bovinos somaram 16,69 milhões de cabeças entre janeiro e junho deste ano. Em relação ao mesmo período do ano anterior, houve aumento de 12,4% na quantidade enviada para o gancho. As fêmeas compuseram 46,1% do total, ante participação de 44,8% no mesmo período de 2012. No primeiro semestre foram abatidos 9,0 milhões de machos (bois e novilhos) e 7,7 milhões de fêmeas (vacas e novilhas). Os preços firmes do boi gordo, mesmo com os abates em alta, indicam que a demanda tem feito a sua parte, tanto no mercado interno como com as exportações. Para o próximo ano é possível que os pecuaristas aumentem a quantidade de fêmeas em reprodução, incentivados pelos preços firmes da reposição. Isto pode ter efeito positivo sobre as cotações, uma vez que boa parte da carne tem sido produzida a partir de fêmeas.
Fonte: Scot Consultoria

boi gordo

Mercado do boi gordo firme

Notícias | Deixe um comentário

No fechamento da semana passada (20/9), os preços à vista para o boi gordo subiram em 15 praças pecuárias, incluindo as localizadas em estados vizinhos a São Paulo, como Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul.

São cada vez menos frequentes as tentativas de pagamentos abaixo da referência, que ficou estável em São Paulo, em R$107,00/@, à vista.

As programações de abate no estado atendem, em média, quatro dias úteis. A baixa disponibilidade de boiadas terminadas dificulta o alongamento das escalas.

No Rio Grande do Sul, a semana passada foi bem ofertada, com muitos pecuaristas retirando os animais para começarem o plantio das lavouras no estado.

O mercado atacadista apresentou alta, e o boi casado de animais castrados ficou cotado em R$6,90/kg, alta semanal de 3,6%.

Por Gustavo Aguiar

Fonte da noticia: Scot Consultoria

Bezerros do cedo em Paranatinga/MT - Em plena seca, lote de vacas com crias recentes. Suplemento de 600 g (sorgo / milheto / ureia + mineral 80).

Fazenda do MT mostra bons resultados com animais nascidos na seca

Notícias | Deixe um comentário

Vem crescendo o número de fazendas pelo Brasil que investem na busca pelo chamado bezerro ‘do cedo’, que nasce em julho/agosto/setembro e, na desmama, normalmente é mais pesado que o ‘do tarde’ (que nasce em novembro-dezembro).

A Fazenda Tropical (Paranatinga/MT) tem obtido bons índices com essa estratégia, com bezerros nascendo em plena seca no Centro-Oeste e as mães em ótimo estado.

“Antes de focar nos bezerros que nasceriam em julho/agosto/setembro, vimos que as vacas em agosto e setembro estavam boas de escore corporal, levando-nos a esperar um bom índice de prenhez. O bezerro ‘do cedo’ vindo de uma fêmea bem nutrida teria um bom começo de vida, mamando pouco para crescer. Um bezerro normal sai de 25kg ao nascer para chegar aos 70kg no final do 3º mês, em média. Justo quando esse animal em crescimento pede mais leite à mãe que passa a receber oferta de melhores pastagens resultantes das chuvas na primavera”, conta o pecuarista José Carlos Beckhauser, da Fazenda Tropical, e diretor da Beckhauser.

“Além disso, com pouca chuva no MT até outubro, o manejo era tranquilo com as fêmeas para os protocolos de IATF (Inseminação Artificial por Tempo Fixo). Apesar da poeira intensa, foi mais eficiente a lida no curral sem chuvas”.

O manejo sanitário do bezerro nos primeiros dias e até os cuidados com a limpeza da placenta na mãe fazem a diferença sem chuva. A incidência de doenças acolhidas pelo umbigo em processo de cicatrização no recém-nascido tem relação direta com a umidade do ambiente, onde se proliferam os fungos, bactérias, larvas com mais vigor. “Outra vantagem é que a temperatura lá fora é parecida com a que estava no útero”, lembra Beckhauser. Na contramão, o peso ao nascer não é tão alto, pois as crias nascem mais enxutas por dividirem com a mãe os recursos da nutrição mais escassos
do final do inverno.

Um aspecto de grande importância para conseguir o animal ‘do cedo’ é a estratégia nutricional da mãe. “Se a vaca receber complemento de fósforo em dose módica para complementar o que o baixo vigor do capim (seco quase feno) oferece, o sistema reprodutivo agradece. Essa receita deu muito certo na Fazenda Tropical: 500g diários, sendo 350g de qualquer grão seco (milho, sorgo ou milheto triturado) misturado a 150g de sal mineral com 80 porções de fósforo devolve em bezerros com sobra extraordinária quando feitos diagnósticos de gestação após a estação de monta”, informa.

Vale lembrar que é muito importante a pressão por seleção. “Nada de ter paixão por vaca na fazenda que não entrega bezerro todo ano. Cuidado com aquelas pesado nas, bonitas de se ver. Se teve manejo adequado, foi inseminada, esteve com touro hábil e não reproduziu, ela deve ser descartada”, decreta.

Arquivo / Fazenda Tropical, Paranatinga/MT

Fonte da noticia: RuralCentro

 

 

GADO NELORE

Cotação da carcaça bovina no atacado atinge o maior patamar desde setembro de 2012

Notícias | Deixe um comentário

Mais uma valorização no mercado do boi gordo em São Paulo.

O preço de referência no estado está em R$105,00/@, à vista, segundo levantamento da Scot Consultoria. Em relação ao mesmo período do mês anterior houve valorização de 3,9%. A alta em sete dias foi de 1,9%.

Ocorrem negócios em valores maiores.

Houve valorizações em sete das trinta e uma praças pesquisadas.

As escalas de abate atendem entre três e quatro dias, na maioria dos casos. A oferta está moderada.

No mercado atacadista houve valorizações para as peças de dianteiro. O boi casado de animais castrados tem sido negociado por R$6,62/kg, alta de 2,6% nos últimos sete dias.

É a maior cotação para a carcaça desde a segunda quinzena de setembro do ano passado.

por Hyberville Neto

 

estação de monta

MT: Pecuaristas preparam-se para a ‘estação de monta’

Notícias | Deixe um comentário

Pecuaristas mato-grossenses começam a se preparar para a ‘estação de monta’, período em que os touros permanecem junto às matrizes visando o nascimento nas épocas mais favoráveis para o desenvolvimento dos bezerros. A determinação de um intervalo específico para a cobertura das vacas tem resultados positivos dentro da propriedade, com redução da mortalidade ou adoecimento do bezerro e melhor produtividade. Com o início em novembro, os próximos dois meses são de movimentação no comércio de touros e sêmen. A preparação para a estação de monta começou no mês passado e ela é feita tanto pelos criadores quanto por profissionais e empresas. “A escolha dos animais ou do sêmen deve ser feita com cautela, dando preferência para os animais com avaliação genética, ‘puros’ e registrados ou aqueles provenientes de selecionadores reconhecidos”, adverte o médico-veterinário Francisco Manzi.
Fonte: Diário de Cuiabá

Valorização da arroba do boi no MS

VBP da pecuária de corte em MS deve ser recorde

Notícias | Deixe um comentário

O Valor Bruto de Produção (VBP) da pecuária de corte em Mato Grosso do Sul deverá ser recorde neste ano, segundo a Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Sistema Famasul). O VBP, medido pela multiplicação do volume produzido e o preço do boi gordo, deve atingir R$5,45 bilhões, alta de 4,8% ante a de R$5,2 bilhões de 2012.

A Federação alerta que o VPB representa o desempenho do setor para a economia local e não necessariamente o aumento da rentabilidade do produtor, que ainda está comprometida pelos custos de produção.

De acordo com a assessora técnica do Sistema Famasul, Adriana Mascarenhas, em nota, a projeção da entidade está mais relacionada à elevação dos preços do boi gordo do que o incremento da produção. “Em 2013, a produção de carne bovina do estado permaneceu praticamente a mesma, já o valor do boi gordo subiu de forma significativa entre 2012 e 2013, com incremento de 3,8%”, afirma Adriana.

Porém, de janeiro a julho deste ano, o volume de abate de bovinos atingiu 2,4 milhões de cabeças, com elevação de 8,5% em relação ao mesmo período do ano passado, quando os abates atingiram 2,2 milhões de cabeças.

Fonte: Agência Estado. 2 de setembro de 2013.

Boi Gordo

Mercado do boi gordo firme em SP

Notícias | Deixe um comentário

Houve valorização no mercado do boi gordo em São Paulo. Foi a segunda alta consecutiva.

No início da semana foram poucos os negócios no estado, o que reduziu as escalas de abate. Na maioria dos casos estas atendem entre dois e três dias. Segundo levantamento da Scot Consultoria, o preço referência está em R$101,00/@, à vista, mas existem boiadas compradas em valores maiores.

Os animais a termo têm sido fundamentais na composição das escalas de algumas empresas. As demais têm aumentado as ofertas de compra. O mercado atacadista a demanda não evoluiu e as cotações se mantiveram.

Para os próximos dias a expectativa é de melhoria na demanda, com o varejo indo às compras, se abastecendo para as vendas de início de mês.

por Hyberville Neto

fonte: Scot Consultoria